Quando cheguei às ruínas confesso que pensei que iriam ser maiores. Algo no meu imaginário me dizia que deveriam ser primas de Machu Picchu. Pensei também que tanto pela atracção turística que envolve, como o esforço que tinha feito para ali chegar, seria algo bastante fixe para desenhar. Não que não seja, mas ficou aquém das minhas expectativas.

Lê mais sobre o caminho que fiz até às ruínas de Choquequirao.

Materiais de desenho

Para Choquequirao tive que limitar o que levar comigo, pois seria uma longa caminhada. Decidi levar apenas umas folhas e o essencial para desenhar.

  • 3 folhas de papel aguarela Fabriano 300gms
  • caixa metálica de 12 cores de aguarelas
  • 2 pincéis de água de tamanhos diferentes da Pentel
  • 1 pincel de pelo de esquilo
  • 2 clips – para segurar as folhas em caso de vento
  • 1 lápis afiado
  • 1 esferográfica

O Desenho

No meio de várias voltas pelas ruínas, acabei por optar em desenhar aquela que foi a minha primeira vista quando entrei. O que me chamou à atenção foram as sombras e as formas rectangulares meio escuras que contrastavam bastante com o chão mais claro. Outro factor foi a construção das montanhas por trás, que lhe dava profundidade e explicava o ambiente em que se encontrava. Tudo ingredientes suficientes para dar um bom sketch!

As Técnicas

Como estava a usar folhas soltas, decidi limitar o desenho delineando um retângulo à volta, deixando um espaço de 1,5 centímetros. Depois fiz um primeiro esboço a lapis da composição para ter a certeza que o que queria desenhar cabia dentro do retângulo. Normalmente este tipo de esboços faço-o de forma solta e rápida para ter um lado fresco nos traços e não me concentrar muito nos detalhes. Serve apenas para marcar os elementos essenciais.

Depois do lapis, desenhei com a esferográfica negra e aí já me debrucei mais sobre os detalhes e dei ênfase aos negros, para realçar as janelas e sombras. Para mim é a parte mais divertida do desenho pois posso ir construindo e simplificando o que estou a ver. Sugerindo e realçando o que me pareça essencial.

Por fim a cor com aguarela. Quando uso aguarelas sigo sempre o mesmo principio de colocar o céu em primeiro lugar e depois uma aguada em tudo o que seja segundo plano. Neste desenho seriam as montanhas simplificadas à volta das ruínas. Depois coloquei tudo o está em primeiro plano com cores um pouco mais fortes e depois de seco coloquei as sombras. Et voilà!

Deixa um comentário caso queiras saber algo que não expliquei aqui ou alguma outra questão relacionada com o lugar ou desenho.